Feedback – A arte de iterar…

Muitas vezes falo em iteração. Em iterar alguma coisa… Penso até que às vezes menciono esta palavra vezes de mais.

Se tivesse de definir um top 3 de palavras que mais significado e importância têm para mim, feedback seria uma delas.

Quero acreditar que no coração do modelo de iteração está o feedback. Acredito também que nós seres-humanos evoluímos porque nos dão feedback e porque nós próprios damos feedback a nós mesmos.

 Eu sou um chato. Pergunto muitas vezes a um grupo restrito de pessoas o que eles acham disto e daquilo:Exemplos:

E-mail de 11 de Março de 2015 – Enviado a 45 pessoas
Assunto: What’s the best piece of advice you’ve ever received?

E-mail de 6 de Junho de 2014 – Enviado a 60 pessoas
Assunto: CustDev Naming – Projeto de Turismo – Pedido de Ajuda

Exemplos de amigos que também o fazem:

E-mail de Abril de 2015 do Ricardo Martins da Origamind para os seus contactos
Assunto: O que achas deste video e o que é que ele te transmite?

Este resultado é super poderoso. SUPER PODEROSO! Ajuda imenso o quer que seja que estamos a fazer…

Existe um grande senão. Normalmente não gostamos de receber feedback… Porquê?
Eu próprio em algumas ocasiões fiquei tristíssimo e desmotivado com o feedback que recebi colocando muitos dos meus pressupostos em causa. É difícil ouvir que o meu bebé é feio. Mas lá está, se é difícil é muito bom!

Como podemos maximizar o valor do feedback?

1) Fazer perguntas abertas – Temos uma boca e dois ouvidos. Devemos perguntar e calar. Ter algumas perguntas preparadas deixar as pessoas estão a dar feedback falarem à vontade.

2) Gravar via audio/vídeo – É tão interessante e têm tanto sumo o feedback que nos dão que às vezes não temos tempo para escrever tudo o que nos dizem. É melhor gravar. Utilizo o opinion para o fazer.

3) Não peçam opinião à família e amigos – Não gosto de receber “sapatadinhas nas costas”. Gosto de feedback real e genuíno. O que aprendi com o tempo é que muitas vezes os familiares e amigos por quererem só o nosso bem não dizem tudo aquilo que necessitamos de ouvir. Receber feedback de pessoas que não conhecemos é muito forte, porque sai da nossa zona de conforto e é real, é cru.Eu agradeço sempre o feedback por pior que me possa parecer. É um privilégio disponibilizar do tempo das outras pessoas para nos ajudarem a crescer…